Questões de Dança

Lista completa de Questões de Dança para resolução totalmente grátis. Selecione os assuntos no filtro de questões e comece a resolver exercícios.

A cultura e a arte podem oferecer experiências únicas que marcam as relações entre as pessoas e entre povos, revelando aspectos próprios e modos de vida, como subsistemas de organização comunitária, costumes, crenças, produzindo formas peculiares de simbolizar o mundo, constituindo-se em manifestações expressivas necessárias, que são singulares e insubstituíveis (ROBATTO, 2012). Sobre dança e cultura não é possível afirmar que:

  • A. Uma das funções do artista é despertar múltiplos olhares imaginados sobre cada indivíduo, cada grupo, cada cultura, inventando possibilidades, revelando territórios e toda ordem, sem nenhuma fronteira estabelecida.
  • B. Há, pois, que estabelecer cada produto cultural contextualizando-o, ou seja, considerando as condições circunstanciais de sua criação, produção e circulação, sob a ótica de sua época e da sua origem e, principalmente, da sua efetiva função na sociedade.
  • C. As diversas configurações formais das manifestações culturais são o resultado da capacidade criativa de seus intérpretes-autores, realizando e mantendo suas obras artísticas, tradicionais, por vezes seculares, independendo dos atuais intérpretes.
  • D. Vivemos o antagonismo entre a possibilidade de profissionalização do artista e o reconhecimento da diversidade cultural e étnica, por um lado, e paralelamente, a massificação da cultura global, num processo achapante de padronização, fenômeno irreversível fabricado pela indústria do entretenimento com objetivos exclusivamente econômicos.
  • E. A arte não diz, mostra. A vivência da dança permite um tipo diferenciado de percepção crítica tanto nas suas relações pessoais como com o mundo ao redor.

Frequentemente é impossível esquematizar o conteúdo de uma dança em palavras, embora sempre se possa descrever o movimento (LABAN, 1978, p.23) A Teoria do Movimento de Laban foi criada valendo-se da observação de movimentos corporais, fossem eles artísticos, ritualísticos, sucessivos, simultâneos, periféricos, gestuais, posturais, simétricos, assimétricos. Esta terminologia prática tem-se mostrado, em muitos meios de expressão do corpo, eficaz e poderá facilitar denominações, análises do movimento e pensamento acerca do corpo empregados atualmente. Sobre a teoria de Laban no livro Reflexões sobre Laban, o Mestre do Movimento, marque a alternativa correta:

  • A. “Esforço” na nomenclatura de Laban, não é estar fazendo força, ele usa esse termo para enfatizar que o movimento não é só mecânico ou físico, acontece também dentro do corpo e da mente. Há um esforço, isto é, um movimento “internamente”, que tem emoções, sensações, pensamentos, raciocínios, direções, etc.
  • B. A fluência é o primeiro elemento a surgir no desenvolvimento da pessoa. As qualidades do elemento de esforço e fluência são “livre” e “contida”. Assim um bebê é apenas fluência. Os movimentos para dentro são mais difíceis de serem experienciados com a fluência controlada, demonstram contenção, retração ao mundo interno, recolhimento a si mesmo.
  • C. A tarefa do fator peso é a “assertividade”. Suas qualidades são “leve” e “firme”. É o terceiro elemento a surgir no desenvolvimento da pessoa.
  • D. A Corêutica é a organização espacial que Laban desenvolveu. O espaço corêutico é concebido com base no corpo, assim cada pessoa tem um território próprio. A Corêutica pode ser aplicada separadamente da Eukinética, as locações no espaço e as dinâmicas podem ser desenvolvidas separadamente.
  • E. Nenhuma das alternativas está correta.

O movimento é a substância primeira da vida, é a matéria em evolução no tempo e espaço. Ele e o corpo estiveram presentes na própria história – um bom exemplo é a Grécia Antiga, onde a educação dos guerreiros incluía dança, filosofia e música (Neves, 2006, p.235). Sobre a Dança educativa e a inclusão, assinale a alternativa incorreta:

  • A. A experiência corporal no processo educacional consiste no despertar do corpo, principalmente através do repertório sequencial de movimentos e da construção da identidade, valorizando e respeitando as individualidades.
  • B. A dança contribui também no processo de elaboração da imagem corporal da criança e do jovem, gerando conhecimentos sobre anatomia e sistemas corporais (muscular, ósseo etc.). Ao sensibilizar o aluno para a percepção de sensações físicas, alcançam-se o conforto e funcionalidade do movimento corporal.
  • C. Entende-se a inclusão social como processo bidirecional, de construção coletiva, em que cabe à pessoa portadora de deficiência a manifestação com relação a suas necessidades, e à sociedade, a implementação dos ajustes e providências necessárias para que possibilite o acesso e a convivência no espaço comum.
  • D. O trabalho por meio das artes criativas para pessoas com deficiência começou de iniciativas individuais, sem um relacionamento entre as diferentes formas de expressão.
  • E. O trabalho de dança educativa busca o desenvolvimento harmonioso da criança por meio da relação corpo-mente, considerando os aspectos afetivos e sociais. Ao inserir a experiência corporal no processo educacional, o aluno estabelece relações entre os significados simbólicos criados por ele e os aprendizados no processo educacional.

A dança e a movimentação cotidiana não se prendem ao passado ou ao futuro, nem a um professor. O que interessa é o agora. Ninguém melhor do que você pode questionar sua postura, suas ações. Não são sequências de posturas dadas por uma pessoa à sua frente que farão de você um bailarino ou uma pessoa de movimentação harmônica. A dança começa no conhecimento dos processos internos. Você é estimulado a adquirir a compreensão de cada músculo e do que acontece quando você se movimenta. (VIANNA, 2005, p.104).

A partir da descrição da técnica por Klauss Vianna presente no livro do autor, assinale a alternativa incorreta:

  • A. O corpo humano permite uma variedade de movimentos, que brotam de impulsos anteriores e exteriorizam-se pelo gesto, compondo uma relação íntima com o ritmo, o espaço, o desenho das emoções, dos sentimentos e das intenções.
  • B. O ser humano vem perdendo o domínio dos seus sentidos ao representar o gesto, enquanto as outras espécies de animais procuram preservar esse gesto. Um animal selvagem é perfeito em sua integridade, é flexível e adota, instintivamente, a espiral como linguagem corporal.
  • C. Mais do que uma maneira de exprimir-se por meio do movimento, a dança é um modo de existir – e é também a realização da comunhão entre os homens.
  • D. Erradamente considera-se “clássica” toda dança baseada na técnica acadêmica. Essa forma de julgar é resultado de uma superestimação de valores, pois advém de tomar-se como meio de identificação exclusivamente o elemento técnico e não o conteúdo subjetivo de um balé.
  • E. Se a dança é um modo de existir do indivíduo, cada um de nós possui a sua dança, o seu movimento original, singular e alheio ao ambiente, ligados à essência do ser.

O ensino de arte nas escolas vive sobre um terreno perigoso e movediço. O que caracteriza a escola formal tradicional não diz respeito ao universo da arte; o que caracteriza o fazer/pensar da arte é muitas vezes estranho ao mundo escolar. Regra e criação, tradição e invenção, burocracia e transformação, resultados numéricos e possibilidade de sentido podem conviver num mesmo espaço? (MARQUES, 2012, p.41-42). Sobre o trinômio Arte-Ensino-Sociedade, assinale a alternativa correta:

  • A. Cada linguagem artística que conhecemos – vivenciamos, fruímos, compreendemos – possibilita-nos outro olhar e formas diferentes de vivenciar o mundo. Uma vez articuladas unicamente pelo professor, as diferentes linguagens artísticas possibilitam aos estudantes diversas leituras de mundo imbricadas entre si e em movimentos dialógicos constantes entre pessoas, tempos e espaços.
  • B. As diversas leituras de mundo via diferentes linguagens – não somente a verbal – possibilitam conhecer, reconhecer, ressignificar e, sobretudo, impregnar de sentidos a vida em sociedade. As linhas, cores, texturas, volumes propostos pelas artes visuais abrem-nos somente para a leitura das imagens que vivemos.
  • C. O professor de Arte está interessado em construir conhecimento das/nas linguagens artísticas ou não estará ensinando arte.
  • D. O acesso à arte por meio da escola formal é o início de um caminho para sistematizar, ampliar e construir conhecimento nas diferentes linguagens artísticas que nos possibilitam interagir no mundo de forma diferenciada.
  • E. É papel do professor estabelecer relações entre a Arte e as outras formas de conhecimento, uma vez que é conhecedor do projeto político pedagógico que norteia a instituição em que atua, limitando em alguns momentos a autonomia do professor.

Para o desenvolvimento do ensino de dança integral com o enfoque na educação básica formal, considera-se importante que o professor:

  • A. Desenvolva sua linha expressiva e consequente técnica corporal adequada aos seus princípios estético–filosóficos, sociais e políticos, não necessariamente desenvolvendo um processo artístico com os estudantes.
  • B. Possua intimidade com o universo expressivo da dança e domínio da linguagem do movimento corporal, através do conhecimento de como aplicar diversas técnicas corporais e fatores de espaço tempo.
  • C. Incentive seus alunos, desde o começo da aprendizagem, na busca de novas formas de representar o mundo através de gestuais de repertório a partir das transformações ao longo dos anos reconhecendo e valorizando suas expressões.
  • D. Saiba reconhecer o momento de exigir disciplina e empenho tanto individual como de toda a turma para o treinamento corporal na formação do bailarino.
  • E. Proponha a sistematização de uma metodologia de dança como educação – trabalhando para que os alunos alcancem um domínio do movimento corporal, oferecendo elementos técnicos e expressivos que desenvolvam nos jovens competências para lidarem com a linguagem técnica artística do trabalho corporal para assim se prepararem para atender as exigências do mercado de trabalho.

A preguiça e o peso da matéria corporal são eternamente desequilibrados pela vontade dinâmica e pelas impressões que solicitam reações. É a visão de um ser vivo e motórico. As reflexões de um tal ser se efetuam e se exprimem dinamicamente. O pensamento é, para ele, uma essência movimentada, talvez o próprio movimento.

Rudolf Laban

Durante a primeira metade do século XX, o arquiteto, filósofo e coreógrafo, Rudolf Von Laban formulou um sistema de observação, experimentação e análise do movimento teoricamente complexo e poético, posteriormente chamado de Sistema Laban, sobre o sistema e os desdobramentos propostos a partir dele, assinale a alternativa incorreta.

  • A. O corpo é visto como parte de uma relação estrutural em movimento que inclui Corpo, Esforço, Forma e Tempo, categorias interrelacionadas que se informam mútua e continuamente.
  • B. Laban presumiu o corpo como mídia primária da cultura, ou seja, como primeiro meio de comunicação do homem em seu processo e contexto evolutivo, possuindo uma linguagem.
  • C. A fita de Moebius, uma figura topológica que se tornou bastante representativa das inter-relações entre conceitos em Laban/Bartenieff, opera relações estéticas pelo deslizamento de sentidos e instiga o olhar para o entre e para a instabilidade de afirmações.
  • D. O Corpo Laban é explorado no Sistema Laban/Bartenieff de Análise de Movimento, em suas organizações, gestos, posturas, fragmentações, isolamentos, reintegrações, dinâmicas, formas, conexões interno-externas e esquemas motores.
  • E. A consciência corporificada das dinâmicas espaciais (entendidas como portadoras de potência de Esforço) sobre as quais atuamos, e que atuam sobre nós, leva-nos a explorar os devires de si com uma mentalidade inclusiva, que se alimenta na experimentação das multiplicidades e complexidades do sujeito/personagem/espectador-autor.

A partir do livro A educação como cultura de Carlos Rodrigues Brandão, sobre o conceito de cultura, assinale a alternativa incorreta.

  • A. A Cultura Popular é necessariamente situada no conflito ideológico. Cultura popular, no Brasil, não é um fenômeno neutro, indiferente, ao contrário, nasce do conflito e nele desemboca necessariamente.
  • B. A cultura pode ser definida como aqueles produtos mentais criados por uma comunidade de vida humana e que, portanto, são inexplicáveis em termos de mera consciência individual, uma vez que pressupõem a ação recíproca de muitos.
  • C. Adquirindo a cultura, o homem passou a depender muito mais do aprendizado do que a agir através de atitudes geneticamente determinadas. Como já era do conhecimento da humanidade desde o iluminismo, é este processo de aprendizagem (socialização) que determina o seu comportamento e a sua capacidade artística ou profissional.
  • D. É necessário participar de um processo que transforme a cultura do povo, através da prática da Cultura Popular em uma cultura de classe consciente, crítica e mobilizadora, capaz de transformar tanto os símbolos com que se representa o mundo, quanto a sua própria dura realidade material.
  • E. A Cultura Popular é cultura para os trabalhadores (popularização da cultura erudita para o acesso do proletariado a ela). Ela assume várias formas de expressão, tendo como objetivo a educação das massas.

No dia a dia, realizamos uma infinidade de movimentos que acabam revelando a relação que costumamos manter com o nosso corpo. Se observarmos o ato de andar, por exemplo, veremos como é possível identificar características muito distintas do comportamento. Sobre a percepção corporal na técnica Klauss Vianna, responda a alternativa correta.

  • A. A postura, portanto, não é uma coisa fixa. É tão flexível quanto o galho do bambu e profundo como suas raízes, o que permite que meu eixo oscile para frente e para trás, de acordo com meu estado físico-emocional. Porém, a grande flexibilidade pode romper com a força e a resistência do corpo, desrespeitando sua natureza e colocando em prática suas potencialidades.
  • B. Sabemos que o corpo está sujeito a limitações naturais correspondentes à estrutura, ao peso, à relação com o espaço e outras, relacionando-se diretamente com as limitações e os condicionamentos de correntes de bloqueios e tensões acumuladas ao longo de toda uma vida.
  • C. É muito comum a tendência à assimilação de posturas que não revelam o nosso modo de ser, mas que têm como referência modelos exteriores a nós mesmos, por exemplo, os nossos pais. No trabalho corporal essas referências tratam de sentidos orientadores para a dança.
  • D. Obviamente, a todo instante somos submetidos a uma série de condicionamentos sociais e culturais. De acordo com a lógica e a disciplina de um mundo orientado para o trabalho, somos levados à mais completa imobilidade e a desempenhar uma forma mecânica de gestos. O universo da produção é hoje um universo de trabalho alienado, no qual também o corpo é submetido a um conjunto de práticas de domesticação social.
  • E. O corpo inteligente é um corpo que consegue adaptar-se aos mais diversos estímulos e necessidades, ao mesmo tempo que não se prende a nenhuma receita ou fórmula preestabelecida, indo de encontro a percepção das sensações e referências íntimas.

A partir do livro “Linguagem da dança: Arte e Ensino” de Isabel Marques, assinale a alternativa incorreta.

  • A. O ensino de dança tem uma relação mais próxima e mais direta entre os saberes específicos da dança e as vivências pessoais de corpo-tempo-espaço daqueles que participam dos processos de ensino e aprendizagem dessa arte.
  • B. A síntese da proposta metodológica da Dança no Contexto são as redes de relações entre a arte, o ensino e a sociedade. Suas ações inter-relacionam a formação e a leitura do tripé arte-ensino-sociedade e os entrelaçamentos entre as faces da quadra articuladora: problematização-articulação-crítica- -transformação.
  • C. Segundo a autora, é o trânsito entre as redes formadas pelos tripés das relações que possibilita leituras de dança/mundo na construção de sentidos transformadores. Isabel Marques se baseia na Proposta Triangular para o ensino de artes (apreciar, fazer e contextualizar), da professora e pesquisadora Ana Mae Barbosa.
  • D. Ao sugerir que o ensino de dança/arte proponha articulações múltiplas entre as redes de relações formadas pelo tripé arte-ensino-sociedade, a autora entende a necessidade de propormos aulas de dança que busquem uma relação mais próxima entre os saberes específicos da própria dança – relações entre seus subtextos, textos e contextos (MARQUES, 1999).
  • E. Nenhuma das alternativas está incorreta.
Provas e Concursos

O Provas e Concursos é um banco de dados de questões de concursos públicos organizadas por matéria, assunto, ano, banca organizadora, etc

Parceiros

Caso deseje ser um parceiro entre em contato.

questoes de concurso

cupom de desconto

body feminino

pci concursos

bendito guia

{TITLE}

{CONTENT}

{TITLE}

{CONTENT}
Provas e Concursos
0%
Aguarde, enviando solicitação!

Aguarde, enviando solicitação...