Questões de Comunicação Social da Instituto Americano de desenvolvimento (IADES)

Lista completa de Questões de Comunicação Social da Instituto Americano de desenvolvimento (IADES) para resolução totalmente grátis. Selecione os assuntos no filtro de questões e comece a resolver exercícios.

Para explicar a influência que os meios de comunicação exercem sobre a construção social da realidade, muitas teorias foram criadas por semiólogos e estudiosos de diversas áreas. Uma dessas teorias preconizava que uma mesma mensagem midiática destinada a um público de massa afetava, da mesma forma, todos os indivíduos, com efeitos uniformes e homogêneos. Com base no exposto, é correto afirmar que se trata da teoria

  • A. hipodérmica, cujos objetivos tinham por finalidade conhecer os anseios populares, a fim de poder suprir suas legítimas carências e dirimir os fatores sociais que eram geradores da desigualdade e da opressão.
  • B. da persuasão, cujos objetivos levam em conta a necessidade de manipulação da opinião pública, a fim de gerar uma satisfação duradoura e controlável no tocante à atuação estatal em suprir expectativas sociais.
  • C. funcionalista, segundo a qual o indivíduo é estudado a partir da própria ação social, pelos valores que considera e pelos modelos sociais que ele adquire em comunidade.
  • D. hipodérmica, cujos objetivos giravam em torno da procura por uma forma de entender as influências da comunicação no comportamento social para – a partir disso – ser possível pensar em estratégias para exercer influência comportamental sobre a população.
  • E. da persuasão, cujos objetivos não seriam de dominação ou manipulação social, mas sim de convencimento, compreendendo o indivíduo como um ser único, inserido no próprio contexto sociocultural e político.

Uma outra teoria formulada para estudar de que forma os meios de comunicação atuam sobre a sociedade foi a chamada teoria crítica. Acerca da referida teoria, é correto afirmar que ela surgiu no(a)

  • A. Governo Roosevelt (EUA), como uma forma de entender, julgar, avaliar e propor soluções para a grande depressão da crise de 1929, o que propiciou a formulação do New Deal, a partir dos estudos do economista John Maynard Keynes.
  • B. Escola de Frankfurt, baseada na democracia representativa da República de Weimar, a qual criticava a propaganda monarquista e nacionalista que havia levado o país à guerra em 1914 e fundava as bases da indústria cultural, que incentivava uma comunicação de massa que induzisse o consumo como forma de reerguer o país economicamente.
  • C. URSS, como uma diretriz do Partido Comunista, sob a proposta, a tutela e a condução de Joseph Stálin, que criticava o capitalismo ocidental e acreditava que a citada teoria poderia auxiliar a expandir o ideário bolchevique para todo o mundo, a partir de uma propaganda direcionada para os valores revolucionários.
  • D. Reino Unido, como decorrência do ideal de propaganda expansionista da Companhia Britânica das Índias Orientais, durante a dominação inglesa na Índia, como forma de criticar a educação, as religiões, a cultura e os valores indianos e sedimentar as bases de uma subserviência da população nativa ao imperialismo ocidental.
  • E. Escola de Frankfurt, baseada em teorias marxistas, que encaram a mídia como instrumento de atuação social capitalista, decorrente da indústria cultural, sob cuja influência a obra de arte perde a própria natureza artística e passa a ter um caráter de consumo, manipulação e dominação.

A respeito do conceito de indústria cultural, é correto afirmar que ele foi formulado a partir dos estudos dos seguintes sociólogos, integrantes da Escola de Frankfurt:

  • A. Martin Heidegger e Leo Löwenthal, na obra Literatura e Cultura de Massa (1980).
  • B. Ernst Bloch e Erich Fromm, na obra Anatomia da Destrutividade Humana (1979).
  • C. Theodor Adorno e Max Horkheimer, na obra Dialética do Esclarecimento: Fragmentos Filosóficos (1947).
  • D. Herbert Marcuse e Hannah Arendt, na obra A Condição Humana (1958).
  • E. Martin Heidegger e Jürgen Habermas, na obra Transformação Estrutural da Esfera Pública (1962).

Quanto a comunicação e Estado, assinale a alternativa correta.

  • A. Essa relação limita-se à divulgação de informações e ao trabalho de assessoria de imprensa.
  • B. As relações entre Estado, governo e cidadãos têm evoluído nas últimas décadas. Hoje o cidadão é visto como “cliente” das administrações públicas.
  • C. Um regime político que necessite de relações públicas, se existir, é precisamente o democrático.
  • D. A última onda de mudanças na administração pública, conhecida como gerencialismo, prega a redução de despesas e o aumento da produtividade.
  • E. O governo garante a sua legitimidade ao se antecipar à participação dos cidadãos na formulação e na implantação de políticas públicas.

Considerando a teoria, os conceitos e os paradigmas da comunicação, assinale a alternativa correta.

  • A. Contrapondo-se à teoria da comunicação, a semiótica é o estudo da natureza, dos tipos e das funções de signos.
  • B. Fenômenos como o da internet evoluem na contramão da segmentação de públicos ao disponibilizar grandes quantidades de informação a um número ainda maior de receptores.
  • C. A teoria do agendamento (agenda setting), desenvolvida por Lasswell, discute a tendência de os consumidores de notícias considerarem mais importantes os assuntos que são veiculados com maior destaque na cobertura jornalística.
  • D. Posteriormente trocada por “indústria cultural”, a expressão cultura de massa, disseminada por meio dos veículos de comunicação de massa, define os conteúdos desenhados para atingir um grande grupo popular, transcendendo qualquer distinção de natureza social, étnica, etária ou sexual.
  • E. Os novos paradigmas, forjados pelas novas tecnologias da informação e da comunicação, colocaram por terra a velha agenda setting.

Em relação à teoria da comunicação e às novas tecnologias da informação, assinale a alternativa correta.

  • A. A credibilidade é a percepção do receptor acerca da relação entre realidade social, realidade institucional e realidade midiática.
  • B. A objetividade no jornalismo diferencia-se da objetividade da ciência, assim como a da justiça, que, por sua vez, incorpora um terceiro conceito.
  • C. A revolução propiciada pelas novas tecnologias de comunicação e informação, multiplicando exponencialmente as fontes de notícias, derrubou o mito da imparcialidade e da objetividade.
  • D. A objetividade jornalística deve ser entendida como o conjunto de normas e regras para a observação da realidade, dentro do objetivo de produção de uma semelhança estrutural entre realidade social e realidade midiática.
  • E. A credibilidade de uma notícia na internet só pode ser aferida pela sociedade se o assunto for também coberto pela chamada grande mídia.

Acerca das novas tecnologias e da globalização da informação, assinale a alternativa correta.

  • A. A aculturação, processo no qual uma cultura obrigatoriamente assimila uma outra, é um dos elementos do processo de globalização.
  • B. A tecnologia da informação é uma das áreas do conhecimento que integram a ciência da computação.
  • C. O processo conhecido como globalização se restringe essencialmente à economia.
  • D. Conhecida como “novo paradigma”, a chamada nova economia agrega a tecnologia da informação ao fordismo.
  • E. O papel da informação e do conhecimento nas economias vem provocando modificações substantivas nas relações, na forma e no conteúdo do trabalho, o qual assume um caráter cada vez mais informacional.

Considerando-se os programas de editoração, é correto afirmar que o formato

  • A. INDG é o tipo de arquivo gerado pelo aplicativo InDesign.
  • B. PHS é o tipo de arquivo gerado pelo aplicativo Photoshop.
  • C. ILT é o tipo de arquivo gerado pelo aplicativo Illustrator.
  • D. EPS é usado para transferir dados de imagens PostScript de um programa para outro.
  • E. CDW é o tipo de arquivo gerado pelo aplicativo CorelDraw.

Era utilizado antigamente para comparar edições diferentes de uma mesma obra ou coleção, com o amparo dos textos da publicação original, assim como o autor a concebeu em seu início.

  • A. A sangria ou impressão sangrada é um conceito empregado em relação à mancha gráfica e ocorre quando o diagramador, deliberadamente ignorando o recuo de segurança no tocante aos limites da página, resolve extrapolar tais demarcações limítrofes da impressão, fazendo determinados componentes gráficos (como imagens ou mesmo o texto) ultrapassarem a linha de corte da página.
  • B. O “ganho de ponto” consiste no aumento do tamanho dos pontos de uma retícula de meio-tom, que ocorre durante o processo de pós-impressão, quando o impressor faz a aferição do equipamento offset, buscando um ajuste para equilibrar os tons das cores primárias da impressão inicial. O ganho de ponto é uma das variáveis mais importantes a ser considerada nos processos de reprodução gráfica, visto que interfere na cor da reprodução.
  • C. O gris é qualquer série de cores pastéis que varia entre as cores magenta e ciano no sistema RGB, e entre o cinza e o violeta no sistema CMYK.
  • D. A sigla RGB designa a expressão right grid in black e consiste em um sistema que compreende o espaço de cores nativo dos monitores de vídeo que empregam as cores primárias branco, preto e verde para reproduzir todas as outras cores. O sistema RGB diverge do sistema CMYK, uma vez que, nas impressões analógicas, não apresenta boa visualização das cores ciano, magenta, amarelo e preto.
  • E. A cromocomposição, também chamada de composição do ponto de fuga, consiste em um sistema de composição de textos por processo fotográfico e é empregada apenas nos processos de impressão digital.

A respeito do processo de preparação de originais, assinale a alternativa correta.

  • A. Consiste no segundo contato com o autor de uma publicação, após a primeira revisão, a fim de receber dele o briefing referente ao correto processo de edição da obra, com dicas quanto à linguagem a ser considerada e informações acerca de personagens e do estilo a ser respeitado, para que a normalização e a segunda revisão da publicação sejam direcionadas para o adequado fluxo editorial.
  • B. Refere-se à verificação de diagramação dos originais de uma obra, depois que os textos já passaram pelos processos de normalização, revisão e diagramação. Consiste em um processo atento, em que serão comparados os originais da publicação com os textos já diagramados, para que se verifiquem possíveis supressões de frases, parágrafos, páginas, imagens, gráficos, quadros, tabelas etc.
  • C. Refere-se à primeira revisão de uma publicação, que objetiva “limpar” o texto original, corrigi-lo e aperfeiçoá-lo, adaptando-o às normas editoriais, seguindo uma padronização para as citações, para a utilização de maiúsculas e minúsculas, para colocação pronominal, pontuação, estrangeirismos, siglas e topônimos em outros idiomas. Baseia-se em uma leitura minuciosa que considera questões como sintaxe, coerência, ortografia, ambiguidade, repetições desnecessárias, vícios de linguagem, ecos de estrangeirismos, falsos cognatos, ritmos frasais e outras implicações de cunho gramatical e literário.
  • D. É utilizado raramente, hoje em dia, tendo em vista que o advento da impressão digital tornou inúteis determinadas etapas do antigo processo de impressão analógica.
  • E. Era utilizado antigamente para comparar edições diferentes de uma mesma obra ou coleção, com o amparo dos textos da publicação original, assim como o autor a concebeu em seu início.
Provas e Concursos

O Provas e Concursos é um banco de dados de questões de concursos públicos organizadas por matéria, assunto, ano, banca organizadora, etc

{TITLE}

{CONTENT}

{TITLE}

{CONTENT}
Provas e Concursos
0%
Aguarde, enviando solicitação!

Aguarde, enviando solicitação...